News Update :
Home » » Brasil silvícola é realidade 82% de nosso povo descendem dos naturais da terra.

Brasil silvícola é realidade 82% de nosso povo descendem dos naturais da terra.

A Genética comprova que descendente possui o mesmo DNA, ou seja, se sua tataravó, bisavó, avó ou mãe, foi (é) silvícola, você também pertence à etnia
 

             Estudo antropológico revela a origem dos principais sobrenomes brasileiros, originários da miscigenação portugueses com índias brasileiras,  a partir do século XVI até fins do século XVIII.

            Se você ainda não buscou sua linha genealógica, faça-o agora e orgulhe-se de possuir sangue silvícola.  Eis os nomes:

Abranches, Abrantes, Abreu, Abril, Acioli, Adão, Adriano,  Affonso, Agostinho, Aguiar, Aguilar, Aires, Alarcão, Alberto, Albino, Albuquerque, Alcântara, Alcoforado, Alegre, Aleixo, Alegria, Alemão, Alencar, Alencastre, Alexandre, Alferes, Almada, Almeida, Alvarado, Alvarenga, Alvares, Alves, Alvim, Amado, Anjos, Amaral, Amarante, Amaro, Ambrosio, Amora, Amorim, Amparo, Anacleto, Andrada, Andrade, Annes, Antunes, Aquino, Aranha, Arantes,  Araujo; Arouca, Arouche, Arrais, Arroz, Arruda, Arcosa, Arzão; Assis, Assumpção, Assunção, Aurélio, Aveiro, Avelar, Ávila; Ayres, Azambuja, Azeda, Azedo, Azeredo; Azeredo; Azevedo, Bacelar Bahia, Baia, Baião, Bajarte, Balbino, Baldim, Bandeira, Baptista, Baragã, Barata, Barbeiro, Barbosa, Barcelos, Baruel, Barraway, Barreto, Barra, Barradas, Barragã, Barreiro, Barriga Barros, Barroso, Bastos, Batalha, Batista, Bayão,  Barba, Barbeiro, Barcellos, Beca, Beirão, Bejarno, Belchior, Belém, Beleza, Bello, Belmonte, Beltrão, Benavides, Benedito, Benevides, Bentes, Bento, Benvindo, Bernardes, Bessa, Betim, Betins, Betting, Bezerra, Bicho, Bicudo, Betencourt, Bittincourt, Bicudo, Bispo, Bizarro, Boaventura, Bobadilha, Bocarra, Bocarro, Bonfante, Bonilha, Bonito, Borba, Borges, Borja, Borlido, Botafogo, Botas, Botelho, Brá, Brandão, Braga, Bragança, Branco, Braz, Brito, Britto, Brum, Brunelve, Cabral,, Caiado, Caixa,Caldas, Caldeira, Caldeirão, Calheiros, Calisto, Calmon, Calvino, Calvo, Camacho, Câmara, Camargo, Camelo, Camilo, Caminha, Campanella, Campanha, Campeão, Camões, Campelo, Campo, Campos, Cana, Canário, Candeia, Candia, Cândido, Canhoto, Cantinho, Canto, Carmelo, Carmona, Cardim, Cardozo, Cardoso, Carlos, Carmo, Carmona, Carneiro, Carnide, Carpes, Carrasco, Carreira, Carreiras, Carvalhais, Carvalho, Carvalhosa, Carvão, Casaca, Casado, Cazado, Casal, Casanova, Casa, Cascais, Casimiro, Caso, Casqueiro, Cassiano, Castanheda, Castanho, Castanheiro, Castelo-Branco, Castelhano, Castilho, Castro, Catarina, Catarino, Cavalcanti, Cavalheiro, Celestino, Cepelos, Cerejo, Cerqueira, Chagas, Chamorro, Chapa, Chapado, Chassim, Chaves, Cid, Cidade, Cidral, Cintra, Cipriano, Claro, Clementino, Coelho, Coimbra, Colaço, Colares, Conceição, Conde, Conrado, Corda, Cordeiro, Cordovil, Correa, Correia, Cortes, Corvo, Cosme, Costa, Costa Alemão, Coura, Coutinho, Couto, Craveiro, Cravo, Cruz, Cruz d’avila, Cruzeiro;

Coutinho, Cruzeiro, Cubas, Cunha, Damas, Damasceno, Damásio, Daniel, Dantas, Delfim, Delgado, Dias, Dinis, Diniz, Diogo, Dionísio, Domingues, Domingos, Dorea, Dória, Dorneles, Dorta, Dourado, Duarte, Duque, Durães, Durão, Dutra, Eanes, Ébanos, Edra, Eduardo, Egreja, Eiras, Eiró, El-Rei, Emídio, Encarnação, Eredia, Escobar, Escudeiro, Esmeraldo, Espada, Espinheiro, Espírito Santo, Esteves, Estrada, Eusébio, Evangelista, Evaristo, Évora, Fagundes, Fabião, Faia, Fajardo, Falcão, Farel, Faria, Farias, Farinha, Faro, Favacho, Fazenda, Febos, Feijão, Feijó, Feio, Felgueiras, Felício, Felis, Felizardo, Fenis, Fernandes, Ferraz, Ferreira, Festas, Fialho, Fidalgo, Figueira, Figueiredo, Figueiró, Figueiroa, Filipe, Fino, Firmino, Fiúza, Flor, Flora, Flores, Florença, Flores, Florindo, Fogaça, Fogo, Folgado, Fonseca, Fontainha, Fontana, Fontanela, Fontes, Fontoura, Frade, Fradique, Fraga, Fragoso, França, Franco, Frederico, Freire, Freitas, Frias, Frois, Furquim, Furtado, Gabriel, Galdino, Gallego, Galvão, Gama, Gamboa, Gandavo, Garção, Garcez, Garrido, Gaspar, Gato, Garcia, Gavião, Gentil, Girão, Godinho, Godoi, Gõis, Gomes, Gomide, Gonçalo, Gonçalves, Goulart, Gouveia, Grangeia, Grilo, Grou, Guedes, Guerra, Guerreiro, Guilherme, Granja, Guerreiro, Guimarães, Gurgel, Gusmão, Gutierres, Henrique, Henriques, Hipólito, Holanda, Homem, Honorato, Horta, Ignácio, Inácio, Ilha, Inês, Infante, Isaias, Isidoro, Israel, Izidro, Jacinta, Jacinto, Jardim, Jesus, Jordão, Jorge, Judas, Julia, Julio, Junqueira, Justa, Justiniano, Justino, Lacerda, Lacombe, Ladeira, Lage, Lages, Lagos, Laguna, Lara, Laranjeira, Laranjo, Lassa, Laurentino, Lavado, Lázaro, Leal, Leão, Leça, Leme, Lemos, Leite, Leitão, Lima, Limpinho, Linhares, Lisboa, Lins, Lira, Lisboa, Lobato, Liz, Lobo, Lomba, Lopes, Loução, Louceiro, Lourdes, Loureiro, Lourenço, Louzada, Lucas, Lucena, Luis, Luz, Luzaete, Macedo, Machado, Machuca, Macieira, Maciel, Madalena, Madaleno, Madeira, Madruga, Madureira, Maduro, Mafalda, Mafra, Magalhães, Maia, Maldonado, Malheiros, Malta, Maris, Mariano, Marinho, Marques, Marmou, Marreiros, Martinho, Martins, Mascarenhas, Mata, Matos, Maximo, Medeiros, Medella, Medina, Meira, Meireles, Mello, Mellão, Mena, Mendes, Mendonça, Menezes, Mesquita, Messias, Mestre, Milagres, Milagres, Minho, Miranda, Moniz, Monserrate, Montalvão, Montalvo, Monteiro, Montes, Moraes, Morais, Morales, Morão, Moreira, Moreno, Mosca, Moscoso, Mosqueira, Mosqueiro, Mota, Motta, Moura, Mourão, Moutinho, Muniz, Munhoz, Muralha, Nagera, Nascimento, Navarro, Naves, Negreiros, Neto, Neves, Nobre, Nóbrega, Nogueira, Nolasco, Noronha, Nova, Nunes, Oliva, Oliveira, Oneto, Onhate, Orobio, Ornelas, Ortigão, Orvalho, Osório, Pacheco, Paço, Padilha, Padrão, Padrel, Paes, Paim, Paiva, Paixão, Palmeira, Palmeiro, Pamplona, Parada, Paraíso, Pardal, Paranhos, Paz, Paredes, Parente, Parreira, Pássaro, Pascoal, Passos, Patrício, Paulo (de), Paulino, Pavão, Peçanha, Pedro, Pedrosa, Pedroso, Penedo, Peixoto, Pelicano, Peixeiro, Penteado, Peralta, Pereira, Pereirinha, Peres, Pessoa, Pestana, Picanço, Pimenta, Pimentel, Pina, Pinheiro, Pinho, Pinto, Pito, Pires, Pó, Ponce de Leão, Ponte, Pontes, Portela, Porto, Portugal, Prado, Prata, Prates, Prestes, Preto, Príncipe, Proença, Prudente, Quadros, Quaresma, Quebra, Queiroga, Queirós, Queiroz, Quental, Quintana, Quintanilha, Quintas, Quintela, Quintino, Rabelo, Raimundo, Rainho, Ramada, Ramalhete, Ramalho, Ramires, Ramos, Rangel, Raposo, Rebello, Rebolo, Rego, Reis, Resende, Ribas, Ribeiro, Ricardo, Rico, Rios, Rodovalho, Rino, Rio, Rios, Riscado, Rita, Robalo, Rocha, Rodrigo, Rodrigues, Roiz, Rolha, Rolin, Rolim, Rollin, Rolo, Rosa, Rosendo, Roxas, Roxo, Ruas, Rufino, Russo, Sá, Saavedra, Salazar, Saldanha, Salema, Sales, Salles, Salgado, Salgueiro, Sampaio, Sanches, Santana, Santa Maria, Santiago, Santafé, Sant”Ana, Santana, Santa Clara, Santa Maria, Santa Rita, Santarém, Santos, São José, São Romão, Saraiva, Sardinha, Saraiva, Sarmento, Saturnino, Seara, Seco, Seixas, Sena, Sequeira, Serôdio, Serpa, Serqueira, Serra, Serrador, Serzedelo, Setúbal, Severo, Silva, Sylva, Silveira, Silvério, Silvestre, Siqueira, Simão, Simões, Sintra, Soares, Soares, Sobrado, Sobral, Sobrinho, Sória, Soriano, Sousa, Souto, Souza, Tavares, Teodora, Teodoro, Teixeira, Teles, Terra, Tevês, Tinoco, Toledo, Tomás, Torres, Torrones, Tourinho, Tovar, Trancoso, Trigo, Trovão, Trigueiros, Trindade, Uchoa, Urbano, Valadão, Valadares, Vale, Valença, Valente, Valentim, Valle, Valverde, Varella, Vargas, Vasconcellos, Vasques, Vaz, Veiga, Vellez, Velasco, Velho, Veloso, Velasques, Veloso, Venâncio, Ventura, Verde, Vergueiro, Viana, Vianna, Vicente, Viegas, Vieira, Vilarinho, Vilas-Boas, Villas, Villela, Vilhena, Vinagre, Vinhas, Violante, Viterbo, Vitoriano, Viveiros, Vizeu, Xaves, Xavier, Ximenes, Zacarias, Zagalo,  Zarco, Zouro.

 

Observações: outros nomes poderão ser acrescentados a esta lista, desde que sejamos informados.

Objetivo:

            Este é um convite para que você e sua família participem da ONG Tribo Guaianá, que está sendo constituída, na sede de uma das duas Sesmarias de 6 léguas em quadra, doadas à tribo, em 12 de outubro de 1580, pelo Capitão Jerônimo Leitão, da Capitania de São Vicente, com o caráter de perpetuidade.

            A primeira delas  vai dos limites de Cotia/Carapicuíba até as proximidades de Ibiúna, envolvendo vários municípios da zona Oeste da Grande São Paulo, enquanto que a outra,  de idêntica proporção, acha-se localizada entre São Miguel Paulista e Guaianases, distrito da capital de São Paulo..

            Por direito perpétuo estas terras pertencem aos Guaianás e seus descendentes, mas a Constituição Federal não reconhece ainda descendentes como índios,  contrariando a Genética.

            A reorganização da Tribo Guaianá visa, obviamente, defender sua cultura, costumes e tradições, além de pugnar pelo reconhecimento, por parte da FUNAI, de que os herdeiros têm direito a um laudêmio ( imposto )sobre as transmissões imobiliárias, das duas Sesmarias, desde que os colonizadores expulsaram, em 1759, a Companhia de Jesus, que administrava  essas terras.

            Se você quer que sua descendência seja reconhecida e quer participar para que possamos pedir de volta o que tiraram de sua família, inscreva-se nesta luta pelo reconhecimento da genealogia Guaianá, no Estado de São Paulo.

            Faça contato:                                                           

Ame-Fundação Mundial de Ecologia – telefones 4703-2636 e 4614-7828 – e-mails:

                  amefundacao@uol.com.br  ou  triboguaiana@uol.com.br 

Site: www.ecologia.org.br  - Rua Nicolau Espinosa Linhares, 118 –CEP 06700-146 –

                                                           COTIA/SP/BRASIL

 

FAÇA CÓPIAS,  DISTRIBUA.
Share this article :
 
Design Template by panjz-online | Support by creating website | Powered by Blogger