News Update :
Home » » AME FUNDAÇÃO MUNDIAL DE ECOLOGIA

AME FUNDAÇÃO MUNDIAL DE ECOLOGIA

Anuncia o

 

MRF-MOVIMENTO FEMININO REVOLUCIONÁRIO

 

Onde estão as guerreiras audazes, valorosas, intrépidas, cuja vida se pauta na busca do bem, da concórdia, da paz, do civismo, da civilidade, da moral e da ética? O momento é-lhes inteiramente favorável, a mocidade as chama, a Pátria as convoca.

 

O Analfabeto Político 
Bertolt Brecht

O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe que o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas.

O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia  a  política. Não sabe o imbecil que, da sua ignorância política, nasce a prostituta, o menor abandonado, e o pior de todos os bandidos,  que é o político vigarista, pilantra,  corrupto e lacaio das empresas  nacionais e multinacionais.

 

Por que e para quê?

Não é difícil compreender que a sociedade brasileira enfrenta um verdadeiro apocalipse, tanto familiar como cívico e político.

 

Famílias

As famílias não se desintegraram ainda, porém, o caminho está aberto aos constantes ataques de grupos dissonantes, tanto psíquicos como biofisiológicos. Esta verdade aparece na constante ação dos ativistas impregnados por ideologias ultrapassadas ou circunscritos a multiplicidade de  outras variantes.

Propostas e ideias de desvalorização humana acham-se a caminho por desavisados ou descompromissados com a essência da Vida, com a verdadeira ecologia,  e consequente hereditariedade. Sob alegação de modernidade, imiscuem-se, fantasmagoricamente no tecido social, apresentando  devaneios de alguma noite mal dormida ou mesmo sob efeito mental de orgias insalubres etilicamente proporcionadas.

 

Pátria

Somos uma Nação, ou um Estado, mas não conseguimos atingir ainda a supremacia  de constituirmos  a Pátria, na acepção cívico-moral do vocábulo, eis que nos causam ausência diversos elementos formadores da consciência integral da razão primeira da existência. Transformar um país numa Pátria é luta de gigantes metabolicamente formados com espiritualidade e impregnados do mais puro sentido de fraternidade para conseguirmos uma paz estribada na justiça social onde impere a meritocracia, legitimando direitos e deveres em igualdade severa.

 

Progresso com Política honesta

O caminho desejado, tanto por mulheres como por homens, é viver nos limites da  auto-suficiência, quer como trabalhadora ou trabalhador ou no campo de atividades culturais, artísticas, científicas,  tecnológicas ou profissionais, desde que oportunidades sejam iguais para ambos os gêneros.

O objetivo do progresso é repartir felicidade, não alienar ou escravizar quem quer que seja para esta obtenção.

Ideologias confundem a crítica rudimentar dos que, ainda incultos, não conseguem enxergar outros paradigmas fora  dos limites impostos pelos condutores de sonhos ou apoteoses inalcançáveis.

Somente o trabalho legítimo e fecundo, orientado e disciplinado, lógico, tem o condão libertário das amarras do sub-desenvolvimento, pois aponta o fulgor das conquistas materiais e espirituais.

A Política, conduzida na orientação de propagar o bem coletivo, pode orientar as criaturas ao sucesso que assegure a harmonia comunitária. Para que esta Política seja consentânea com nossa transitória passagem pelo Planeta, temos que dividir sabiamente riquezas e capacidades com destinação à lídima existência  saudável.

 

Democracia com Eco

O modelo democrático, ainda incipiente, tende a eleger-se ecodemocrático, traduzido na participação voluntária de todos dentro de uma organização racional, equilibrada e justa, para que as possibilidades de adesão aos postos administrativos comunitários sejam delegadas a todos, partícipes ou não de agremiações registradas como partidos políticos. Esta transformação fará do País uma República Fraternalista, cimentada nas bases familiares.

 

Valores e Supremacia

Não  há valor absoluto isolado  ou apenas enaltecido por circunstâncias fortuitas; para cercar-se de legitimidade os valores devem ser auferidos no contexto da humildade com aprendizado constante da autêntica  disciplina, que não oprima nem  avilte a personalidade humana,  mas ensina fraternalmente o percurso cultural, técnico  ou tecnológico e mesmo científico.

A Supremacia está na prodigalidade do bem, conquistada pacientemente através de resignação e humildade.

Não haverá valores sem respeito, ética, compreensão, fraternidade. Esta formulação é factual; ou recobramos os conceitos inerentes a nossa singela passagem terrena, ou marcaremos passos constantes de insucesso.

 

Divisões Geográficas

Nosso estar em Gaia (planeta Terra), embora fugaz, está repleto de marcações e convenções, na escala demográfica momentânea. A composição (e aceitação) dos limites impostos, de cima para baixo, achatam os  viventes, tolhe a verdade ecopolítica e cultural. A revisão dos atuais modelos administrativos é  imperativo da modernidade, pois não produz qualidade de vida, nem felicidade ou harmonia social, mediante imposição de freios, sistemas ou ideologias. Os tempos provaram que estas sucumbem em curto período porque irreais, ou lastreadas apenas em falsos dilemas econômicos.

 

Grupos Sociais

Desde o início da civilização os viventes  buscaram a solidariedade grupal, lamentavelmente conspurcada no século presente, eis que  divisões geográficas ou geopolíticas não assumem compromissos visando o futuro da curta passagem terrena; impregnam-se, isto sim, de configurações paliativas, tendentes ao domínio de alguns sobre todos, quando são descuidados (ou propositalmente esquecidos) setores importantes na formação do caráter, do civismo e mesmo da civilidade, fatores indispensáveis à geração do progresso.

 

Autogoverno

Romper os paradigmas institucionais inerentes ao Estado de Direito será avançar ecodemocraticamente, na senda da viabilidade governativa, demonstrando maturidade ecopolítica conforme demonstrado por sábios e cientistas que, debruçados sobre as principais angústias comunitárias, optam, permanentemente, pela pulverização administrativa que alcance todo o tecido social. Este compromisso, sabiamente estudado e apoiado pela ONU-Organização das Nações Unidas, representa o primeiro passo para a plena conquista de todos os direitos, com responsabilidade, obviamente, tal a simplicidade do Pacto de 26 de dezembro de 1966, que reconhece o poder grupal sobre as instituições, muitas vezes habilmente manobradas por assembleias de cunho político-partidário.

 

Habitantes Transitórios

Por certo, nosso estágio no planeta, reveste-se de várias conjunções e paradigmas que possam nos situar nesta coorte espacial, meramente passageira, a qual damos importância também efêmera. Aqui, entre milhares de espécies, reproduzimo-nos material e espiritualmente, eis que este amálgama tem o objetivo de nos conduzir parcialmente entre todos da mesma espécie com transição importante e necessária consoante planos, por muitos inteiramente desconhecidos ou suplantados. A divisão de gêneros origina e pactua deveres e obrigações na malha social, embora conduzida prudentemente ou parcimoniosamente, por seres masculinos, entre acertos, desvarios e omissões, para com os do gênero feminino.

 

Comando Feminino Supremo

Não seria acertado, nem lógico, defender-se a completa e total supremacia de um gênero sobre outro; nem do masculino sobre o feminino, nem vice-versa, o que contraria leis naturais, científicas e históricas. O que se pede, entretanto, através desta modesta cartilha é a ascensão das companheiras mulheres nos campos e cargos diretivos de cidades, estados e federação, nas multivariadas empresas estatais ou mistas, bem como em particulares, onde elas conseguiram provar, com sua pertinácia e dedicação, o fato salutar de agirem com a sabedoria da honestidade profilática, algo que tem faltado a muitos do gênero masculino, como se prova diariamente.

 

Caminho da fraternidade

Movimento Feminino Revolucionário não busca atritos nem qualquer tipo de belicismo para reformas sociais imprescindíveis, mas apenas um modesto lance para o exato reconhecimento do caráter feminino em comparação com o masculino. Enquanto este cai, avidamente, no campo do absoluto materialismo existencial, através de dissabores circunstanciais, quando, muitas vezes rebaixam-se a atos criminosos, elas, contudo, detentoras da vida, matrizes da civilização, mensageiras perenes da concórdia, do entendimento e do mais profundo respeito pelos seus  semelhantes, sabem que sua missão foi planejada pelo Cosmo, com o qual estão aptas para a continuidade ecológica do planeta, caminhando resignadamente em escala ascensional e deitar fulgores de bondade fraternal mesclados com a mais honesta condução administrativa que restaurará a paz com justiça social. Este caminhar certamente evitará rixas, disputas, bem como o continuísmo político-administrativo armado apenas por grupos financeiros visando locupletar-se com  recursos recolhidos pela federação, com os quais projetam enriquecimento rápido, sem importar-se com os prejuízos coletivos e ausência de meios para responder às necessidades de todos.

 

MFR em marcha

O primeiro passo está dato; a caminhada, contudo, é longa, cansativa, mas refulge na compreensão de que nossas companheiras terrenas acham-se dispostas ao percurso para que o bem comum se estabeleça definitivamente em nossas cidades, em nossos estados e na federação brasileira. Esta marcha assume um novo tipo de guerrilha,  sem bombas, sem assaltos, sem conchavos com ideologias truncadas e ultrapassadas, as quais infelicitaram, no passado, milhões de criaturas, destruindo famílias e desperdiçando gênios, os quais poderiam estar atualmente engajados na Ordem da Decência,  da Ética,  do Respeito, do Civismo e da Civilidade, em setores produtivos ou de pesquisas para a saúde corporal da humanidade.

Somos a guerrilha do bem, da moral, da  ordem, da compreensão e da paz. Somos uma guerrilha incomparavelmente superior a qualquer outra, belicista, que tenha aparecido ou pretenda aparecer em nosso país. Queremos a educação em seu lugar acertado, a segurança firme e não pactuante com qualquer tipo de crime, queremos as Forças Armadas (Exército, Marinha, Aviação) em seu lugar de origem, modernizadas, instrumentadas  civilmente para resguardar a Pátria. Queremos saúde de primeiro mundo, saúde com “S” invejável, não a pantomima lacrimosa que pouco assiste e não investiga focos de insalubridade ambiental que restringem a vida humana; queremos a concordância nos escalões administrativos com reformas básicas para extirpar de vez a corrupção alarmante; queremos uma lei eleitoral condizente com as necessidades nacionais, não apenas para premiar conchavos políticos geradores da mais negra dosimetria corruptiva que infelicita os brasileiros; queremos a volta dos valores sagrados da Pátria, sem o que estaremos fabricando o caos, muito propício à investida estrangeira em nosso sagrado solo; queremos a Verdade Serena, sem revanchismos ou hipocrisia, para crescermos nos mais variados campos produtivos.

 

Por tudo isto, estamos  começando esta caminhada. Participe ativamente, filie-se ao MOVIMENTO FEMININO REVOLUCIONÁRIO, faça contato com AME FUNDAÇÃO MUNDIAL DE ECOLOGIA – amefundacao@gmail.com  ou  amefundacao@uol.com. br  ou JORNAL VERDE MUNICIPALISTA – atendimentojornalverde@gmail.com

 

 

AJUDE A DIVULGAR ESTE MANIFESTO. A PÁTRIA PRECISA DE VOCÊ!

 

In memoriam:

Elisabetta Bonn

Giusepina Bacco

Victoria Sacilotto

Vitória Regina Paioli

Alice de Souza Amaral (Liloca),

MAF-Movimento de Arregimentação Feminino
Share this article :
 
Design Template by panjz-online | Support by creating website | Powered by Blogger